sexta-feira, 2 de setembro de 2011

8ª Febrac ofereceu novidade e diversidade ao Polo Calçadista em NS movimentando estimativa de 9 milhões em negociações
       Na faixa de 120 expositores que reuniram no Centro de Convenções de Nova Serrana desde o dia 30 de agosto, para levar aos industriais do polo calçadista novidades em máquinas, matérias-primas e componentes. A expectativa dos participantes e visitantes é ampliar a rede de contatos entre as duas classes para potencializar, além de promover o desfecho de bons negócios, diferenciais competitivos para os calçados produzidos na região.
       Entre as novidades da edição estão 40 novas empresas expositoras e as fabricantes chinesas China Tesi e Glory Laser, respectivamente fornecedoras de componentes e máquinas de corte a laser. Além delas, a nacional Garudan traz seu maquinário ultrassônico para revolucionar e reduzir o tempo disponibilizado para a produção. “Nossa participação na feira será fundamental para apresentar nossa empresa”, conta o responsável pelo desenvolvimento de softwares da Garudan, Igor Ponath ao lembrar que há uma nova filial inaugurada recentemente em Divinópolis.
       Outra força para a feira é a presença da Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos para Couro e Calçados (Abrameq), responsável pelo maior estande coletivo da Febrac, com 22 empresas, vindas de todo o País. “Nossa participação tem o objetivo de trazer para o polo de Nova Serrana mais tecnologia e máquinas de origem nacional, com qualidade e com todas as exigências legais atendidas”, explica o Gestor de Projetos da Abrameq, Gregório Fauth. Ele ainda fala sobre os motivos de estarem na feira. “Nossos associados participam dentro e fora do estande coletivo e atuam no polo, um dos maiores fabricantes de calçados do País”,
       Para a Leder, representante de oito marcas expostas na Febrac e participante desde a primeira edição, o evento é sempre atrativo. “A Febrac é totalmente positiva para nós da Leder porque é bem dirigida e nos propicia um ambiente apropriado para boas negociações”, comenta o representante da empresa, Júlio Moraes.
O expositor Valdeci Luciano, proprietário da Valana Máquinas, de Nova Serrana, também investe na feira há muitos anos. Para o empresário, a feira é local de realizar novos contatos, fechar e iniciar excelentes negociações. “Já realizamos bons negócios e chegamos a 20% do total esperado para os três dias de evento. Além dos contratos fechados na feira, pretendemos movimentar outros números no pós-feira e em razão dela”, comenta Valdeci.
A expectativa do Sindinova é gerar R$ 9 milhões em negócios nos três dias de evento e receber 6 mil visitantes. A 8ª Febrac começou dia 30 e termina hoje, dia 1 de setembro, às 21h. A feira abre os portões do Centro de Convenções de Nova Serrana às 14h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário